Pastorinhas

LIVRO CABISTEZAS
Por Meri Damasceno

Pastorinhas

Em referência ao nascimento do Menino Deus, as visitas de pastoras às casas da população – que colocava areia da praia em seu piso para enfeitar – faziam parte da tradição no Arraial. As famílias também dispunham uma mesa com toalha rendada, jarras e flores em frente à porta da sala, assim como uma imagem sagrada para receber as visitantes. Ali, as pastoras cantavam e dançavam diante da mesa sagrada.
Essas pastoras eram a portuguesa, a cigana, a cega, a saloia e a florista, além de outros personagens que participavam das procissões. Essas personagens cantavam nas portas, cada uma com sua canção.

“Canção da cigana”

“Dá-me uma esmola
pelo amor de Deus
para a pobre cigana
que até hoje não соmeu.
Dai uma esmola
Pelo amor de Deus
para a pobre cigana
quе ainda não comeu.
Ah! Ah! A cigana
são horas meu Senhor
são horas divinas, são
horas de amor.

“Canção da Saloia”

“Saloia dai-me um beijo
que eu te darei um vintém
o beijo de uma saloia
е роuco mas vale bem.”

Meri Damasceno